Cuide do seu cãzinho




Você sabe tudo sobre seu amigão? Confira aqui todos os cuidados de que ele precisa!

Adaptação do cãozinho:

Quando receber um novo cãozinho em sua casa, prepare um lugar quentinho e confortável, que pode ser uma caixa ou uma caminha. Se puder, coloque objetos com o cheiro do lugar em que ele estava anteriormente, como um paninho, para que ele não estranhe muito o local. E se for um filhote, coloque um relógio enrolado em um tecido, pois o tic-tac vai imitar o coração da mãe dele, deixando-o mais calmo. Uma garrafa com água morna (MORNA, não quente!) envolta em uma toalha também ajuda.

Alimentação:

Deixe sempre ága fresca para seu cão, longe do sol. Evite dar restos de comida, pois só a ração tem os nutrientes de que seu cão precisa em uma dosagem equilibrada. A ração não precisa ser misturada com água, leite nem comida. Para saber a quantidade certa, confira na embalagem da ração. Em todos os casos, não deixe a ração disponível por mais de uma hora, mesmo que o cão não tenha comido tudo. Se o cão não quiser comer, retire a comida, mas leve-o ao veterinário caso ele recuse três refeições seguidas.

Casinha:

Coloque a casinha ou caminha de seu cão em uma área coberta, protegida do sol e da chuva – mesmo que a casinha do cão já tenha seu próprio telhado.

Higiene:

Escove o pêlo do seu cão diariamente. Nos casos dos cães de pêlo longo, considere tosá-los, principalmente no verão. Dê banhos apenas quando ele estiver sujo, pois banho em excesso pode ressecar sua pele e pelagem. Use sempre produtos próprios para cães, de preferência com cheiro suave, pois o odor forte incomoda e prejudica o faro dos peludos.

Brincadeiras:

Cães adoram brinquedos de morder: ossos de borracha, plástico ou náilon. Não dê a ele objetos que soltem lascas ou pedaços que possam ser engolidos. Os filhotes precisam ainda mais desses brinquedos, porque o crescimento dos dentes os incomoda. Por isso mesmo, não deixe ao alcance do filhote sapatos, chinelos e afins.

Um cãozinho ou dois?

Ter mais de um cão pode ser uma ótima ideia, pois além de ser mais uma companhia para a família, ele será também companhia para o outro cão. Para que eles não briguem, seja sempre igualmente atencioso com ambos e dê comida em locais separados. Caso eles não se relacionem bem entre si, peça a ajuda de um adestrador, pois ele o ajudará a identificar o motivo do problema.

Socialização:

Para acostumar seu cão a outras pessoas e animais, passeie sempre com ele, desde filhote. Sempre que ele tiver atitudes indesejadas como rosnar ou pular nas pessoas, repreenda-o com um firme “não”.

Treinando seu cão:

Não dê ao cão sobras da sua comida, nem o alimente com o que você estiver comendo. Nunca grite nem bata em seu cão pois isso pode tornar o cão agressivo. Quando ele fizer algo de errado, diga um firme e severo “não”. No mercado há manuais que mostram como educar seu cão. Comprar um desses e seguir as dicas pode ser excelente para a convivência do cão com você e sua família.

O cão sozinho em casa:

Para que seu cão não fique ansioso sozinho em casa, treine-o. Pegue suas chaves e saia por 2 ou 3 minutos. Vá aumentando esse tempo gradualmente. Ao deixá-lo sozinho, deixe um rádio ou tv ligada, pra que ouça vozes de pessoas e fique mais calmo.


Passeios:

Ao passear com seu cão, seja educado. Limpe o cocô do seu cão e encurte a guia dele quando passar por outras pessoas na calçada. Lembre-se de que a forma como seu cão se comporta interfere na maneira como as outras pessoas acabam vendo os cães em geral. Passeie sempre no início da manhã ou no fim da tarde para que seu cãozinho não sofra com o calor excessivo.

Passeando de carro:

NUNCA deixe seu cão sozinho dentro do carro. Os vidros do carro funcionam como uma estufa, deixando a temperatura em seu interior vários graus acima da temperatura externa, o que pode ser fatal para o seu cão.

Viagem:

Cães não devem ficar períodos longos sozinhos. Além disso, ele pode ser um ótimo companheiro de viagem. Antes de viajar, verifique se o hotel aceita animais e, principalmente, mantenha seu cão disciplinado. Muitos estabelecimentos não aceitam animais porque tiveram experiências ruins com donos mal-educados.

Coleira e identificação:

Mesmo que seu cão nunca saia de casa, coloque uma plaquinha em sua coleira com o nome e seu telefone, incluindo DDD. Isso é muito, MUITO importante! Mesmo os cães mais caseiros podem ficar assustados com barulhos e fugir sem rumo pelas ruas. Também há outras maneiras de identificar seu cãozinho, como microchip ou coleiras com GPS.

Cuidados veterinários:

Cães adultos devem ser vacinados anualmente, além de serem vermifugados com frequencia. Filhotes devem receber esses cuidados com uma frequencia ainda maior. Em caso de qualquer alteração no apetite, pelagem, olhos ou comportamento do seu cão, leve-o ao veterinário. Aliás, mesmo que esteja tudo bem, leve seu cão ao veterinário para um check-up anual.

Castração:

Uma ninhada gera de 6 a 10 cachorros, em média. O que você pretende fazer com todos esses filhotes? Para evitar abandono e maus-tratos na rua, castre sua cadelinha! Além de evitar a gravidez indesejável, a castração evita a gravidez psicológica e reduz os riscos de alguns tumores. Nos machos, ela evita fugas, demarcação de território (ou seja, xixi nos seus móveis), tumores e agressividade por excitação sexual.

Plantas:

Tire do alcance do cão (ou melhor, nem tenha em casa) plantas venenosas como comigo-ninguém-pode, azaleia, copo-de-leite, entre outras. Aqui tem uma lista com várias plantas que podem ser tóxicas para os bichos.


 

 

Fontes: PremieR – Manual do filhote – Cães, Guia de cuidados com seu cão – Purina ProPlan.

Um comentário em “Cuide do seu cãzinho

  • dezembro 13, 2017 em 2:28 pm
    Permalink

    Hi, this is a comment.
    To get started with moderating, editing, and deleting comments, please visit the Comments screen in the dashboard.
    Commenter avatars come from Gravatar.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *